Resenha: Maze Runner - Correr ou Morrer

quarta-feira, fevereiro 18, 2015

Autor: James Dashner
Número de Páginas: 426
Editora: Vergara & Riba

Sinopse: Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, a única coisa que Thomas consegue lembrar é de seu nome. Sua memória está completamente apagada. Mas ele não está sozinho.
Quando a caixa metálica chega a seu destino e as portas se abrem, Thomas se vê rodeado por garotos que o acolhem e o apresentam à Clareira, um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Porém, um fato altera de forma radical a rotina do lugar - chega uma garota, a primeira enviada à Clareira. E mais surpreendente ainda é a mensagem que ela traz consigo. Thomas será mais importante do que imagina, mas para isso terá de descobrir os sombrios segredos guardados em sua mente e correr, correr muito. 

***
GENTE, QUE LIVRO FOI ESSE?

Maze Runner - Correr ou Morrer estava na minha estante a uns meses, porém não tinha pego para ler, primeiramente porque eu estava lendo outro livro e também porque eu preferia pegar os livros menores, ou seja, mais fáceis de ler. Só que ao acabar um outro livro, eu iniciei a leitura de Maze Runner, e gente, eu não parei mais. Eu nunca tinha lido uma distopia, então não sabia a reação que eu teria quanto a um livro do gênero. Porém, eu amei, tipo, de mais. Eu li em duas semanas, sei que para alguns é muito, até de mais, só que para mim, foi super rápido, levando em conta o tempo que eu levara para ler outros livros de poucas páginas.

***

Se você não leu o livro e não é muito fã de Spoilers, não leiam a partir daqui, pois por menores que sejam, o texto contém alguns.


O elevador, a falta de lembrança, a Clareira, os meninos falando palavras estranhas.
Tudo isso me levou a uma profunda curiosidade, a qual fez eu ficar prendida no livro do inicio ao fim.

A clareira, um lugar imenso cercado por muros gigantes, como se não tivessem fim. Os muros eram cobertos por hera macia, seus dias e noites eram de um clima agradável, não chovia, não fazia nem muito calor, nem muito frio, e o boato que corria era que Caçarola, o cozinheiro, não tinha habilidade na cozinha, porém, como eu disse, era só boato e a comida do local era boa, talvez até de lamber os dedos. Tudo isso seria ótimo, se não fosse por um detalhe, todo mês chegava um garoto pelo maldito elevador, e o mesmo tinha o destino de todos os outros já ali, viver em meio de um labirinto gigantesco e amedrontador, habitado por uma raça desconhecida e mortal. Durante dois anos, todos os moradores da clareira sofreram com o destino cruel que os tinha sido traçado, porém alguns corriam mais riscos que os demais, pois enquanto alguns ficavam na segurança da Clareira, atrás daqueles gigantes portões de pedra, dia e noite, os outros, os mais ágeis, se arriscavam a por os pés no labirinto, tudo para tentar descobrir uma possível saída, mas isso nunca acontecerá... Até a chegada de mais um Clareano, aquele que faria a diferença, Thomas.


A cada página do livro eu me sentia mais aflita, tanto pela falta de lembrança de Thomas e de todos ali, quanto pelo pensamento de que eles nunca conseguiriam achar uma saída do labirinto. Porém a cada acontecimento, eu via que Thomas seria uma peça importante para a fuga da Clareira, obviamente não só Thomas, mas muitos outros, pois no fim, foram de essencial importância. 
Eu simplesmente amei a forma de como o autor fez Thomas se apegar a Chuck, pois no inicio, para Thomas, Chuck era apenas um garoto que falava de mais, porém no final, ele sentia-se como irmão dele. Outra coisa que eu adorei, foi o fato de como alguns Clareanos apoiavam Thomas em suas idéias, mesmo quando muitos diziam que ele não era de confiança. 
O que posso dizer sobre Teresa, ou melhor, sobre o que Thomas sentia e pensava sobre Teresa. Não era nada daquela coisa clichê de sempre, mas sim um pensamento que surgiu dentro de sua cabeça de uma forma tão "normal" que as vezes chegava até a criar duvidas sobre o que era na verdade.
De inicio eu já achava super interessante o fato dos muros se movimentarem todas as noites, e desconfiava disso, mas depois do que descobri sobre os códigos, eu fiquei ainda mais surpresa, pois essa ideia maluca que Thomas e Teresa tiveram, nunca teriam se passado em minha cabeça, nem por um minuto.
Para finalizar, o fim do livro estava sendo uma beleza, pois parecia que tudo estava exatamente como todos Clareanos (e nós leitores) queriam, mas como eu já imaginava, obviamente por ter mais 3 livros na saga, o final não fora tão agradável, pois a descoberta que tive, fez com que todo o alivio que eu tive no último capitulo, sumisse num piscar de olhos. Porém, mesmo que não tenha sido agradável o final, eu fiquei entusiasmada para ler o outro livro e ser levada para um mundo de desafios novamente, o que eu achei muito interessante.

Bom gente, espero que tenham gostado, sei que não escrevo muito bem, pois não sei expressar bem o que sinto, porém de alguma forma, esta tudo ai, é só ler com calma rs. Se vocês já leram o livro e tem algum elogio ou critica, deixem nos comentários, que eu ficarei muito feliz de conversar sobre com vocês.

Beijinhos. 

You Might Also Like

0 comentários